sexta-feira, 25 de junho de 2010

SOBRE A LINHA



Morri na hora.
Não sofri.
Não tive tempo de sentir medo.
Só um meio susto e acabou.
Não vi minha vida passar diante dos meus olhos.
Não pressenti minha morte.
Não tive tempo de rezar e pedir a intervenção divina.
Depois da luz se apagar e do som ser cortado, bruscamente,
sem restar sequer o silêncio.
Um sono sem sonhos que não acaba.
A morte veio veloz como se um trem nos atropelasse
sem ao menos saber que estávamos na linha.

Diego Domingos

Foto: Fabio Ghrun http://tinyurl.com/2djhjrb


Nenhum comentário:

Postar um comentário