domingo, 14 de novembro de 2010

SÓLIDA SOLIDÃO, SÓ LIDA


O meu filho não está dormindo.
Não está no quarto contíguo.
Jamais usará esta palavra
E nenhuma babá-eletrônica o olhou.

O meu pai não está comigo.
Jamais o pus na cama
Jamais ele me viu assim.
Deve ser um espectro.

Minha mulher não está dormindo.
Não conversa comigo.
Não está ligada na tevê.
Talvez andasse morta.

Eu mesmo não sei dizer.
Eu vejo pelos olhos de um velho.
Meu passado é mais presente
Que o meu futuro.

DIEGO DOMINGOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário