domingo, 14 de novembro de 2010

A poesia me vem nas horas mais erradas (apud LFV)

Pesquisando para um trabalho da Faculdade sobre O Cântico dos Cânticos, a poesia me assalta, literariamente. Cedo, não sem algum protesto. Você já não se sentiu assim? Você tem um compromisso qualquer, um trabalho, uma prova, cinema, futebol, banco, qualquer coisa, e na hora de sair algo te chama para outra coisa - no meu caso, a poesia me prende à tela (onde o papel?), e ela é assim, não tem hora pra chegar nem pra ir embora, como uma visita de que gostamos e não conseguimos falar-lhe que temos que sair, temos prova hoje, ou o banco vai fechar, preciso ir, você se importa... E a poesia se importa. Ela diz "não sei quando posso voltar; não sai, não; vamos ficar; ou vamos sair; a vida é curta; aproveitemo-la; qual compromisso! compromisso temos nós dois, seu manganão!" E deste "diálogo" entre meu eu+ comigo foi que nasceu este poema aqui, que intitulei (e foi outro dia mesmo que aprendi que não é "entitular"):




Um cântico, de muitos

O amor é isso.
O amor é isso?
O amor? É isso!
Ô, amor... É isso!
O amor é isso, sim!
Isso, sim, é amor!
Amor assim.
Amor maior.
A maior.
O maior.
Ao maior.
À maior.
Melhor:
Mel e amor.
Seu amor.
O céu, amor!
Aroma.
Amora.
Amore.
A moura.
Amada.
Da ama.
Do amo.
Dosamos.
Amós.
Amar me perdeu.
O mar me achou.
O mar fechou.
Encolheu.
A flor abrochou.
Engoliu-meu amor.
A rua cerrou-me.
Orvalhou-me.
Desenganou-me.
Amar se paga.
Mete-se na sombra.
!Há dúvida?
A dúvida é da vida.
A vida é da dor.
A dor é do homem.
E o homem é do amor.
Sigo aquele que amo.
Embora nunca nos encontramos.
Ela para mim é que se volta.
Seus olhos são dos infernos
Num corpo paradisíaco.
Seu coração usa trancas.
Seus peitos são crianças.
Suas mãos mantêm cativas
Todas as reuniões de homens.
Seu pescoço é uma luva
Para as minhas mãos.
Sua cintura é a outra.
Seu umbigo é a taça
Do meu champanhe.
Toda ela é para se desejar.
Todo ele é para se desejar.
Ela sobe o monte.
Ele desce o vale.
Só Deus é testemunha
Deste verdadeiro amor.



DIEGO DOMINGOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário